. Plateias Hospitalares leva programação a hospitais do Rio de Janeiro – Doutores da Alegria

Para melhor visualização do site, utilizar navegador Google Chrome.

Blog

Plateias Hospitalares leva programação a hospitais do Rio de Janeiro

3 de março de 2015
Tempo de leitura: 3 minutos

Doutores da Alegria

Comentario 0
Compartilhar 0

Plateias Hospitalares

Em março a programação cultural promovida pela ONG volta aos hospitais públicos do Rio de Janeiro.

Ao todo, serão sete apresentações abertas a todos os pacientes, acompanhantes, profissionais de saúde e moradores do entorno dos hospitais. Neste mês as companhias artísticas oferecem diferentes linguagens artísticas para o público: circo, palhaço, teatro e música.

O projeto Plateias Hospitalares nasceu em 2009 no Estado com o objetivo de ampliar o acesso à cultura por meio de apresentações em hospitais, além de trazer outro olhar artístico para companhias locais, que trazem espetáculos tradicionalmente exibidos em grandes palcos para enfermarias e corredores hospitalares, para um público que muitas vezes tem ali seu primeiro contato com a arte.

Veja a programação de março:

3 de março às 15h

“Lendas da América Latina”
Hospital Estadual Santa Maria (tuberculose) – Jacarepaguá
Sinopse: Xico, um cachorro viajante que percorre a América Latina de bicicleta, registra num caderno histórias que ouve e que vê. Em seu caminho, Xico conhece as Lendas. Encantam-se mutuamente e começam a viajar juntos contando histórias como “Os Duendes do Pinico”, da Costa Rica, “La Candileja”, da Colômbia, “Iara”, do Brasil e “O Cacau”, do México. No final Xico descobre que ele faz parte desse livro. Xico também é uma Lenda!
Companhia: Massa Grupo de Teatro
Direção: Juan Guimarães
Texto: Mariana Dias
Elenco: Fifo Benicasa, Luca Ayres, Mariana Dias, Sabrina Fortes e Thai Cavalcani
Músicos: João Schmid, Cristiano Cokada e Juan Guimarães

4 de março às 14h

“No pocket – Um espetáculo para todos os bolsos”
Hospital Estadual Eduardo Rabello – Campo Grande
Sinopse: Espetáculo de circo que utiliza as “charlas” clássicas, a música, a dança e a comédia física na criação de “gags” e cenas cômicas. Apresenta uma sucessão de números que exploram o virtuosismo técnico acompanhado por música ao vivo. O fio condutor da dramaturgia é a relação direta dos artistas com o público, sendo este um importante elemento no jogo estabelecido.
Companhia: Coletivo Nopok
Direção: Sergio Machado
Texto e elenco: Daniel Poittevin e Fernando Nicolini

5 de março às 14h

“Conexão do bem”
Hospital Estadual Azevedo Lima – Niterói
Cortejo musical com pandeiro, chocalho, escaleta, voz e violão que apresenta, através de números musicais e teatrais, composições e paródias autorais. Versões de sucessos de artistas populares como Tim Maia, Sidney Magal e Roberto Carlos compõem o eclético repertório.
Companhia: Conexão do Bem
Idealização: Felipe Haiut
Elenco: André Dale, Felipe Haiut, Laura Araújo, Marianna Pastori, Mariana Barcellos, Nina Reis e Pedro Nêgo

6 de março às 14h

“Palavras andantes”
Hospital Estadual Adão Pereira Nunes – Duque de Caxias
Sinopse: Belos painéis e objetos criados no Brasil e Peru, cheios de detalhes, bolsos e surpresas, servem de cenário a fábulas e contos fantásticos da América Latina, com direito a espelho mágico que pode ver tudo, agulha mágica e um bosque encantado, pássaros da fauna brasileira como um teimoso pavão e viagem a mundos obscuros, naquele tempo que não havia sol. Os contadores narram: O espelho mágico (conto popular brasileiro, Luís da Câmara Cascudo), A agulha mágica (Cláudia Macchi, Argentina), O pavão do abre-e-fecha (Ana Maria Machado, Brasil) e Como o sol passou a brilhar no mundo (conto tradicional africano).
Companhia: Os Tapetes Contadores de Histórias
Elenco: Cadu Cinelli, Rosana Reátegui, Edison Mego e Warley Goulaart

7 de março às 14h

“Trio Capitu”
Hospital Estadual Alberto Torres – São Gonçalo
Sinopse: O grupo reúne solistas da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e se propõe também a explorar a prática da música com explicações didáticas sobre os compositores, o processo criativo, os instrumentos e o modo de tocar e sentir a música. Visita diferentes períodos da história da música e traz sua sonoridade para os tempos atuais passando por grandes nomes do choro e da música popular brasileira, de Antonio Vivaldi a Vinícius de Moraes.
Companhia: Trio Capitu
Direção: Trio Capitu
Musicistas: Débora Nascimento (fagote), Janaína Perotto (oboé) e Sofia Ceccato (flauta)

12 de março às 14h

“O homem que tinha memória”
Hospital Estadual Tavares Macedo – Itaboraí
Sinopse: A peça reúne três histórias que têm em comum homens que usam a memória como instrumento para o contato humano e buscam uma razão de viver. Indagações, ideias fixas e divertidas manias são características dos personagens, que criam um curioso jogo rítmico com a palavra e o tempo. A peça tem características de uma narração oral cênica, em que o ator também sugere seus personagens, colocando-os em ação através do corpo e do uso de objetos e adereços.
Companhia: Os Tapetes Contadores de Histórias
Texto e Direção: Cadu Cinelli, Edison Mego e Warley Goulart
Elenco: Cadu Cinelli, Edison Mego e Warley Goulart
Supervisão Cênica: Isaac Bernat



Categorias


Lá do arquivo

Você também pode gostar

Doutores da Alegria


Postado em:

Tags

Deixe um comentário

avatar
  Receber notificação  
Notificação de
Existe 0 Comentário.